Ensaio sobre as selfies

Jornalista, cronista e blogueiro





Pra dizer que nunca coloco foto minha

Está na descrição do meu perfil no instagram: não sou fotógrafo e não tiro selfies. Trata-se de um alerta e uma mensagem de segurança para o cidadão que por ventura desejar me seguir na rede social: não haverá fotografias de qualidades, mas ao menos o seguidor não precisará dar de cara com a minha cara.

Falta de amor próprio? Não. Uma forma exótica de narcisismo? Tampouco. Feio demais? Talvez. O fato é que não sinto prazer, não sinto vontade de ficar me fotografando. Também ficou pouco a vontade vendo meu retrato toda a vez que abro minhas redes sociais. Não é problema em aparecer na foto, eu apareço quando solicitado. Seria apenas um desapego diferente, um certo problema em apontar a câmara para mim.

Viajei bastante nos últimos meses. Conheci lugares fantásticos, vivo uma experiência diferente, uma quebra profunda da rotina e como qualquer ser humano tenho vontade de registrar tudo isso. Bato muitas fotos, tiro foto de tudo que vejo pela frente. Sou quase um japonês com o celular na mão, fazendo registros repetitivos sem ser um olhar diferenciado, um olhar artístico. São fotos normais, que qualquer um poderia ter feito. Há aquelas que tu capricha mais, que sai tão bem que tu mostra para todo mundo. Mas dispenso minha presença nelas.

Aaaah, mas você tem que ter um registro dos lugares que você teve. Sempre escuto isso. E fico com uma certa raiva pois eles têm razão. Minha memória funciona muito bem hoje (estranhamente até), com um GPS embutido no cérebro, mas o futuro ninguém sabe. Registros desses podem inclusive ajudar na memória. Então me rendo e tiro algumas para não ser tão o diferentão da turma.

Não julgo quem tem as lentes voltadas para si mesmo. Eu brinco, é verdade, mas não faço posição contrária a isso. Na minha timeline do instagram, há muitas registradoras de selfie, algumas são excelentes auto-fotógrafas e transformam suas contas em um verdadeiro book. Há outras cuja beleza não necessita de nenhum talento fotográfico, nem mesmo muita coordenação motora para garantir uma boa foto.

Há quem diga que muitos tiram selfie para levantar a auto-estima. Bom, eu conheço umas selfiers que tem uma auto-estima tão elevada que não necessitaria disso. Porém, se esse for o motivo, trata-se de uma razão nobre. Há quem está em dieta/academia que gosta de fazer registros diários para acompanhar a evolução. Tudo bem, também.

A verdade é que cada um tira a foto do jeito que quiser e eu continuarei dando preferência para lugares, cervejas e a minha cachorra. Na verdade, essa crônica não passa de uma desculpa para colocar uma foto que eu apareço e gostei muito, uma raridade por sinal. Agradeço a Fernanda, colega da excursão de brasileiros a Londres, pelo registro.